| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • Dokkio Sidebar (from the makers of PBworks) is a Chrome extension that eliminates the need for endless browser tabs. You can search all your online stuff without any extra effort. And Sidebar was #1 on Product Hunt! Check out what people are saying by clicking here.

View
 

14 ENCONTRO 24-06-2010

Page history last edited by Geane Poteriko 11 years, 11 months ago

OFICINA DE MÍDIAS – RÁDIO


 

ENCONTRO 24/06/2010

 

RELATO DA OFICINA


Neste encontro, o termo LEAD foi apresentado aos alunos, iniciando-se o estudo da produção de textos para rádio.

O material de apoio focalizou "O texto radiofônico", "A redação do Texto Radiofônico, "Lead" e "Dicas para escrita de textos".

 

            

Alunos atentos à apresentação do material.

 

 


 

O TEXTO RADIOFÔNICO

 

“Escrever para quem ouve é escrever como quem fala.” (Ivan Tubau)

 

 

Antes de conhecermos as especificidades do texto escrito para o rádio, vamos destacar algumas das principais características desta mídia:

 

- SENSORIALIDADE: O rádio forma imagens. Quem faz textos e comentários para o rádio escolhe as palavras de modo a criar imagens na mente do ouvinte no sentido de tornar o assunto inteligível e, de certa forma, “mentalmente visível”.

 

- ABRANGÊNCIA: O rádio fala para milhões de pessoas.

 

- REGIONALISMO: O regionalismo é uma marca fundamental do rádio, pois dá visibilidade às informações locais, relacionando rádio e comunidade.

 

- INTIMIDADE: O rádio fala para cada indivíduo. As palavras e a forma de falar são pensadas para o ouvinte, levando em conta suas particularidades e expectativas. O tom íntimo das transmissões - materializado pelas expressões “amigo ouvinte”, “querido ouvinte” - proporciona aproximação e intimidade, fazendo do rádio um veículo companheiro.  Por isto o rádio tem este caráter de “amigo”: você liga e ele está lá. 

 

- IMEDIATISMO E INSTANTANEIDADE: O rádio possui um caráter imediato, possibilitando que o ouvinte fique a par dos fatos no momento em que estão acontecendo. O rádio acelera a disseminação de informações em curto espaço de tempo. Com um celular, por exemplo, o repórter pode entrar no ar de qualquer lugar e transmitir uma informação. Nenhum outro veículo tem esta facilidade.

 

- SIMPLICIDADE: Com uma estrutura mínima, trabalha-se no meio radiofônico, o que abre precedentes para que pessoas não-especialistas se aventurem na arte de fazer rádio.

 

- MOBILIDADE: O rádio pode ser levado e ouvido em qualquer lugar, e em todas as circunstâncias: no carro, na rua, no banho, na cozinha, no campo de futebol, no bar da esquina. O rádio não exige atenção fixa como a televisão, pode-se ouvi-lo realizando outras atividades.

 

- ACESSIBILIDADE: O rádio é muito popular. Praticamente toda residência tem um ou vários aparelhos. Segundo pesquisas recentes, a proporção é de um rádio por pessoa. O rádio está sempre por perto, ao alcance da mão ou do ouvido, atingindo toda a população, da criança ao idoso.

 

- FUNÇÃO SOCIAL: O rádio é um meio que influência o cotidiano das pessoas e tem a magia de cativar e sensibilizar seus ouvintes, conduzindo-os a atitudes e comportamentos.

 

Assim, vemos que o rádio uma importante função social, se destacando como um dos principais agentes de formação de opinião e mobilização coletiva. Por isto, é potencialmente um importante aliado de políticas públicas e projetos comunitários que possam promover o desenvolvimento local e a inclusão social, colaborando para o diálogo entre indivíduos e grupos e fortalecendo a noção de comunidade.

     


 

REDAÇÃO DO TEXTO RADIOFÔNICO

 

A regra geral do texto escrito para o rádio é utilizar-se de linguagem direta, períodos curtos e simples, poucos adjetivos, objetividade e revisão. Escrever como se fala. E a dica mais importante de todas é: leia a sua nota em voz alta, para conferir se o que você está querendo dizer está fácil de ser entendido.

 

A notícia deve responder às perguntas:

 

•  O quê? O assunto.

•  Quem? Pessoas envolvidas.

•  Onde? Local onde acontece o fato.

•  Quando? Data, hora.

•  Como? Modo como se desenrolou o fato.

•  Por Quê? Causas.

 

 

O que diferencia o texto radiofônico do texto da imprensa escrita é a instantaneidade.

 

O ouvinte só tem uma chance para entender o que está sendo dito. A mensagem no rádio se “dissolve” no momento em que é levada ao ar. O texto deve ser coloquial e, no caso do rádio, alguma vezes a  redundância é bem vinda. 

 

A seguir algumas recomendações para a redação do texto no rádio:

 

- Formar frases sempre em ordem direta, isto é, sujeito-verbo-predicado. A ordem direta é a forma mais simples de compreender o que é dito.

 

Por exemplo: "O vovô (Sujeito) viu (Verbo) a uva (predicado) é mais fácil de ler do

que "Viu a uva o vovô".

 

- Formas rebuscadas de escrever ou falar, usadas sem necessidade, podem dar a impressão de falta de clareza de raciocínio.

 

Alguns fatores que influenciam na qualidade da notícia:

 

1. Novidade: A notícia deve conter informações novas, e não repetir as já conhecidas;

 

2.  Proximidade: Quanto mais próximo o ouvinte estiver do local do evento, mais interesse a notícia gera, porque implica mais diretamente na vida do ouvinte.


 

O LEAD 

 

O texto radiofônico começa com o lead: cabeça da notícia.

 

    • LEAD é: 

- Abertura da notícia;

- Relato do fato mais importante de uma notícia;

- MANCHETE; SÍNTESE DA NOTÍCIA.

 

Procure o fato que atualiza a notícia e a torna o mais atraente possível.

 

 O desafio do redator é conquistar o ouvinte na primeira frase. Sua importância torna-se mais relevante na medida em que os ouvintes têm menos tempo para ler, para se informar, em razão do corre-corre da vida moderna. No lead, ou na cabeça da notícia, o ouvinte já deve ser informado do acontecimento. De certa forma, é uma espécie de MANCHETE que já oferece ao ouvinte uma síntese da notícia.

 

Exemplo: PRESIDENTE LULA PROÍBE COMÉRCIO DE BEBIDAS NAS RODOVIAS.

 

Este é o começo do lead. Que se completa com outras informações. Segue-se, por exemplo:

 

A DECISÃO ESTÁ CONTIDA NA MEDIDA PROVISÓRIA ASSINADA HOJE EM BRASÍLIA/// AGORA SERÁ DE INCUMBÊNCIA DE A POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL FISCALIZAR O CUMPRIMENTO DA MEDIDA E PUNIR OS INFRATORES ///

 

No exemplo acima, nós temos o lead e o sublead. Se o ouvinte não teve tempo de escutar a notícia toda, desde o início, ficará informado ao ouvir esta segunda parte da nota, ainda que não tenha tomado conhecimento de todos os detalhes da notícia. 


 

 

DICAS PARA ESCRITA DE TEXTOS

 

1) Usar frases curtas e sintéticas. Ir direto ao assunto.

 

2) Procurar usar o verbo sempre no tempo presente do indicativo. Isso denota instantaneidade e atualidade, características do rádio. É importante lembrar que o passado não é notícia em rádio.

 

3) A pontuação é um dos pontos mais importantes na construção do texto radiofônico . Ela serve para associar a idéia expressada à sua unidade sonora. A vírgula no texto radiofônico marca uma pausa curta, que introduz uma pequena variação na entonação, e dá lugar à renovação do ar. O ponto deve representado por barras /// 

 

4) É bom lembrar que o texto radiofônico - em especial a sonora - precisa ser o mais claro possível, para que facilite a compreensão do ouvinte que, na maioria das vezes, terá apenas uma oportunidade de escutar a notícia.

 

5) É aconselhável evitar adjetivos, pois  eles carregam pouca informação e podem induzir o ouvinte a endossar juízos de valor pré-determinados. Substantivos fortes e verbos na voz ativa reforçam a densidade indispensável ao texto escrito para o rádio.

 

6) A pontuação merece atenção especial. No rádio a pontuação serve para associar a ideia a sua unidade sonora, isto é, marca unidades fônicas e não gramaticais. O uso dos sinais ortográficos facilita a entonação da voz e a respiração. 

 

7) Em frases interrogativas convém usar a técnica espanhola de pontuação; colocando um sinal de interrogação no início da frase, o apresentador/locutor não será pego de surpresa. 

 

Exemplo: ? Quem são os responsáveis pelo aquecimento global?

 

8) O “ponto” deve ser substituído por barras “///”, para que o locutor possa visualizar com mais facilidade o final dos períodos e assim calcular o ar necessário nos pulmões, o suficiente para executar uma locução mais confortável e com boa interpretação.

 

9) Evite frases longas: elas dificultam a respiração do apresentador/locutor e são mais difíceis de serem entendidas pelo ouvinte. Cada frase deve expressar uma ideia.

 

10) O texto precisa ter ritmo. Use frases curtas e evite frases intercaladas, entre vírgulas. Mas tenha cuidado: as frases devem ser curtas, mas não telegráficas . A regra é escrever como se fala.

 

11) Evite o uso da palavra não no lide (lead). Conte o que aconteceu; ninguém liga o rádio para saber o que não aconteceu.

 

12) O uso do “ontem” no lead “envelhece” a notícia. Explique quando o fato aconteceu em outro período do texto. Outra palavra que deve ser evitada na nota é “parece”, pois pode passar a impressão que o locutor ou repórter está inseguro ou não domina o assunto noticiado.

 

13)  Também deve-se ter cuidado com o uso dos pronomes possessivos como  seu, sua, seus e suas. O ouvinte pode entender que está se falando dele, ou de alguma pessoa ou objeto de suas relações pessoais.

 

14) Cada assunto deve ocupar uma página do computador.

 

15)  A revisão do texto em voz alta é a melhor maneira de se evitar erros que “derrubam” o apresentador/locutor. Coloque-se no lugar do ouvinte; ele não está lendo. Com a leitura em voz alta é possível identificar problemas com a sonoridade das palavras, concordância, cacófatos, frases sem sentido, e etc.

 

No texto dos roteiros deve haver clara diferenciação entre o texto a ser lido

e indicações para locução e sonoplastia.


 

Após a leitura, os alunos formaram grupos e montaram uma simulação de programa de rádio. O encontro foi muito produtivo! 

 

 

Tєαchєя Gєαиє Pσtєяїkσ


REFERÊNCIAS:

http://www.youtube.com/watch?v=3cKMFXVmLrA

http://a1.twimg.com/profile_images/108738965/logo_lead_nova_bigger.jpg


 

Comments (0)

You don't have permission to comment on this page.